Por que investir em capital humano, mesmo na crise?

 Com a chegada da pandemia, muitas empresas tiveram que rever seus gastos. No entanto, o erro de muitas organizações nessas horas críticas é não enxergar o capital humano como uma prioridade, já que o investimento nessa área tem um excelente retorno garantido. Leia nosso post de hoje e conheça algumas razões para investir em capital humano, mesmo na crise, e saiba como fazer isso!

O que é capital humano?

O capital humano é a união de conhecimentos e habilidades que geram valor para o indivíduo e também para a empresa. Segundo o economista estadunidense, Theodore Schultz, é a capacidade de conhecimentos, competências e atributos da personalidade de uma pessoa ao desempenhar um trabalho de modo a produzir valor econômico.

Muito além do salário

Hoje em dia, os profissionais não procuram trabalhar em determinada empresa apenas pelo salário que irão receber. Eles valorizam a relação da empresa com os funcionários e a sociedade. Ou seja, para captar e reter bons colaboradores, é necessário contribuir para a vida dele em diversos aspectos profissionais e até mesmo pessoais, esse tem sido um dos maiores desafios do RH 4.0. Continue lendo!

Por que investir nessa área?

Retenção e atração de talentos

Sabemos como conseguir bons profissionais pode ser um processo trabalhoso e cansativo. Isso sem falar de todo o processo de treinamento, no qual você investe tempo e dinheiro. Perder esses profissionais por motivos banais é diminuir sua competitividade, dando aos seus concorrentes a oportunidade para que eles se aproveitem daquele talento que você ajudou a construir.

Tornar-se reconhecido por um bom plano de desenvolvimento de pessoas, também é uma maneira infalível de atrair talentos para sua empresa. Colaboradores competentes procuram espaços onde podem crescer e aprimorar sua habilidades.

A valorização do capital humano é um sinal de que você reconhece a importância daquele profissional para sua empresa, o que faz com que ele se sinta pessoalmente valorizado. Lembramos que isso não se reflete apenas na remuneração, mas com atitudes como um plano de cargos e salários, por exemplo.

A grande rotatividade de pessoas na sua empresa, é um sinal vermelho de que não há um esforço suficiente no desenvolvimento de pessoas, por isso fique atento.

Melhora do clima organizacional

A Teoria das Expectativas, do psicólogo canadense Victor Vroom, é uma das mais utilizadas na elaboração de planos de gestão de pessoas. Segundo ele, esforço, desempenho e recompensa estão ligados na motivação de uma pessoa. Portanto, executar ações que visam o crescimento pessoal profissional dos colaboradores e estabelecer objetivos e metas de carreira ajuda a impulsionar o clima organizacional positivamente.

Aumento da produtividade

O investimento em capital humano é uma relação em que todos saem ganhando. Por exemplo, é possível reduzir falhas na execução de atividades, aprimorando a expertise dos colaboradores. Além disso, eles se sentem mais motivados a entregarem o seu melhor, pois acreditam que podem fazer a diferença, já que são peças importantes no funcionamento da empresa.

Como investir?

O desenvolvimento pessoal está diretamente ligado também a gestão do conhecimento e, hoje em dia, você pode usar a tecnologia para facilitar este trabalho. Conheça a UseRH, uma plataforma intuitiva e moderna, que estimula o engajamento dos colaboradores e te ajuda a desenvolver habilidades neles. Agende uma demonstração e ganhe seis meses grátis!