UseRH

Plano de cargos e salários: como saber o que sua equipe precisa treinar e desenvolver

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Já pensou em desenvolver um plano de treinamento para os seus colaboradores que contemple exatamente o que eles precisam para desempenhar com qualidade suas funções?

Ok, isso é o básico que se espera de um planejamento de T&D.

Mas, e se por meio dele os colaboradores tiverem a chance de adquirir habilidades técnicas e comportamentais que os capacitem a ocupar novas funções, inclusive de liderança, ascendendo a carreira dentro da empresa?

Segundo Fabíola Costa, especialista em Treinamento e Desenvolvimento da Rhopen Consultoria, essas são algumas das vantagens de usar o Plano de Cargos e Salários como fonte para levantar o que o time realmente precisa. E é por isso que ele é a bola de cristal do T&D.

Neste artigo, vamos aprender porque esse processo de Recursos Humanos é tão estratégico para o T&D. Continue a leitura para não perder nada! 

O que é o Plano de Cargos e Salários?

O Plano de Cargos e Salários (PCS) é uma ferramenta que possibilita à empresa organizar os cargos de acordo com a sua relevância para o negócio. A partir dele, é feita uma análise para atualizar e equalizar a estrutura hierárquica da organização, utilizando parâmetros técnicos para definir salários alinhados às responsabilidades exigidas para cada função.

Investindo na construção de um PCS bem estruturado, a organização confere transparência ao processo de carreira. Ou seja, empresa e colaborador estão sempre alinhados sobre as expectativas para cada cargo e as possibilidades de ascensão profissional.

“Isso, sem dúvida, melhora o aspecto motivacional, de satisfação e engajamento, senso de justiça e de pertencimento”, aponta Fabíola Costa.

Fabíola Costa, especialista em Treinamento e Desenvolvimento da Rhopen Consultoria

Ela também destaca que é uma ferramenta que melhora a retenção e a atração de pessoas: 

“O PCS é um instrumento gerencial, no qual o gestor consegue ter clareza do processo de avaliação e fazer as promoções de maneira justa, baseada em critérios bem definidos, fortalecendo a relação entre a empresa e seus colaboradores”, explica.

O erro mais comum do T&D

Um dos erros mais comuns na hora de planejar um calendário de ações de T&D é pular o Levantamento de Necessidades de Treinamento (LNT).

Por vezes, cenários diversos são considerados na hora de planejar os treinamentos corporativos, como as necessidades do mercado, a dinâmica das organizações e até o olhar da gestão sobre a empresa.

Mas, para Fabíola Costa, esse olhar para “fora” da organização é importante, porque traz inovação. Porém, é necessário mesclar isso com a cultura e a estratégia da empresa, que está contida no Plano de Cargos e Salários.

Desta forma, o primeiro passo de qualquer planejamento efetivo de Treinamento e Desenvolvimento deve ser o Levantamento de Necessidades de Treinamento (LNT), onde são mapeadas as principais demandas do time para o direcionamento das ações. E é aqui que a magia acontece utilizando o PCS.

Plano de Cargos e Salários: a bola de cristal do T&D

Um dos grandes ganhos de ter um PSC bem estruturado é a possibilidade de o RH e a gestão da área desenvolverem pessoas construindo uma trilha de treinamentos para colaboradores a partir dele.

“A equipe tem clareza das funções de quais habilidades e competências são necessárias para as pessoas atuarem da melhor forma em suas atividades, seja desenvolvimento técnico ou comportamental”, reforça Fabíola.

Isso significa que, usando o PCS para o Levantamento de Necessidades de Treinamento, você terá em mãos uma visão clara das habilidades técnicas e comportamentais que seus colaboradores não têm ou precisam aperfeiçoar para exercer as atividades atuais e também formar profissionais para demandas futuras. 

Outras fontes de informações para o T&D

Outros processos de RH fornecem inputs importantes para os treinamentos, segundo Fabíola Costa, entre eles a Pesquisa de Clima e Avaliação de Desempenho, as quais somadas ao PCS permitem a construção de um planejamento consistente e bem estruturado.

“Trabalha-se de forma preventiva nas necessidades de treinamento, não se espera ocorrer um problema técnico ou de comportamento para atuar, e sim, já possibilita ao colaborador a jornada de conhecimento necessária para aprimoramento de acordo com o que a empresa precisa”, conclui a especialista.

Após os treinamentos serem executados, as avaliações de aprendizagem e de reação também oferecem dados que atestam a efetividade do trabalho realizado, revelando o quanto o conteúdo foi relevante, o tipo de experiência proporcionada e se o conhecimento adquirido promoverá melhorias no dia a dia de trabalho.

Para mensurar e acompanhar esses indicadores, a equipe de Treinamento e Desenvolvimento pode contar com plataformas próprias para gestão de conhecimento, como o sistema para Universidade Corporativa da USERH.

Por meio dele é possível montar cursos e treinamentos de forma rápida e intuitiva, compostos de conteúdo, testes e avaliações personalizadas e emissão automática de certificados.

Quer saber outras vantagens que o T&D encontra na plataforma da USERH? Converse com um de nossos especialistas.

Esses são alguns exemplos de recursos que facilitam o dia a dia da equipe de T&D.

Assine nossa Newsletter

Email:
Nome:

Quero treinar e desenvolver meus colaboradores com a plataforma da UseRH:










Cargo Atual:

Funcionários:
Eu concordo em receber comunicações: