Entenda o conceito e veja como utilizar uma entrevista estruturada

A entrevista é um dos momentos mais importantes de um processo seletivo. É nela que o recrutador tem a chance de conhecer o profissional de perto e obter mais detalhes sobre suas experiências. Entre os diversos métodos existentes para conversar com um candidato, a entrevista estruturada é um dos mais utilizados do mercado.

Essa ferramenta possibilita uma seleção mais objetiva e imparcial, mas para que seu uso seja realmente efetivo é necessário compreender todos os seus pormenores. Pensando nisso, elaboramos este post com tudo o que você precisa saber sobre a entrevista estruturada, desde o conceito básico até suas aplicações práticas. Acompanhe o texto e esclareça suas dúvidas!

O que é uma entrevista estruturada?

Na entrevista estruturada, o recrutador faz perguntas iguais a todos os candidatos, seguindo um roteiro pré-determinado. Diferentemente de outros estilos de entrevista, não há espaço para improvisos. Todas as respostas são registradas e ranqueadas por notas, o que ajuda o RH a fazer a seleção de maneira justa e objetiva.

Para que o método traga resultados, os entrevistadores precisam ser treinados para segui-lo à risca. Todas as perguntas devem ser redigidas e testadas antes de serem usadas com os candidatos. Além disso, o roteiro deve estar em constante atualização. Caso contrário, os entrevistados começarão a identificar os padrões e decorar respostas artificiais para as questões.

Quais as vantagens desse método?

Ter uma pontuação e critérios preestabelecidos facilita a vida do recrutador na hora de decidir sobre a contratação, principalmente se os candidatos mais cotados forem muito parecidos. Além disso, a entrevista estruturada é baseada em informações confiáveis, que ajudam a prever com mais precisão como será o desempenho do colaborador no dia a dia.

Outra grande vantagem desse método é evitar julgamentos inconscientes, influenciados pelas crenças e experiência do próprio entrevistador. Um erro muito comum é tentar confirmar a primeira impressão passada pelo candidato no início da entrevista, deixando a avaliação de competências em segundo plano.

Como elaborar uma entrevista estruturada?

O primeiro passo na elaboração de uma entrevista estruturada é analisar as habilidades técnicas e comportamentais requisitadas pela vaga. A partir disso, fica mais fácil definir os objetivos do processo e elaborar questões que avaliem se as competências dos candidatos estão de acordo com as exigências da posição.

Ter um roteiro padrão para a conversa também ajuda a escolher quais perguntas serão feitas. A estrutura da entrevista pode ser a seguinte:

  • introdução;
  • perguntas sobre experiências profissionais;
  • questões sobre formação acadêmica;
  • abordagem de pontos fortes e pontos fracos;
  • perguntas comportamentais;
  • descrição do cargo;
  • dúvidas do candidato.

As perguntas devem ser feitas de maneira aberta, de forma que o candidato se sinta à vontade para detalhar suas experiências e fale por cerca de 70% a 80% do tempo. Concentre-se no passado profissional do entrevistado, passando longe de pegadinhas e perguntas de cunho pessoal. Outra dica importante é dar poucas informações sobre o cargo até ter certeza sobre as competências do candidato.

Quando utilizar essa ferramenta?

Além da entrevista estruturada, há outros dois tipos de entrevista comuns no mercado: a semiestruturada e a não estruturada. Os nomes são autoexplicativos. A semiestruturada conta com um roteiro, mas abre espaços para improvisos a critério do recrutador. Na versão não estruturada não há questionário pré-definido, deixando ambas as partes mais à vontade.

A escolha do modelo depende muito do tipo de resultado desejado. Quem procura um estilo mais metódico, rápido e preciso na avaliação das respostas, deve optar pela entrevista estruturada. Recrutadores mais espontâneos e com critérios subjetivos podem preferir as outras versões.

Esse foi o nosso guia sobre como utilizar uma entrevista estruturada! Agora que você já entendeu o conceito e suas aplicações, é hora de colocar o que aprendeu em prática. Basta seguir o passo a passo e colher os resultados, levando sempre em conta as necessidades da sua organização.

Gostou do post? Não se esqueça de nos seguir nas redes sociais! Assim você terá acesso a muito mais conteúdo sobre ferramentas e tendências de Recursos Humanos!

conteúdo cedido a partir de uma parceria com a RHOPEN CONSULTORIA.