Curva do Esquecimento: o que é e como evitar?

Empresas que investem em capital humano esperam que você aplique as habilidades e competências desenvolvidas nos treinamentos no dia a dia de trabalho. Assim, conseguem obter o retorno sobre todo o esforço, tempo e dinheiro que foi investido. 
 
No entanto, este aprimoramento depende de diversos fatores, como a capacidade de absorção do conteúdo ensinado de cada indivíduo da equipe e até mesmo da qualidade dos fornecedores contratados para auxiliar neste projeto. 
 
Você já deve ter reparado que não se lembra de grande parte das coisas que já estudou. Reter conhecimento é algo bastante desafiador e isso pode ser explicado pela Curva do Esquecimento, assunto do post de hoje. Continue lendo para saber mais e conhecer métodos que podem ajudar a sua memória!
 

O que é a Curva do Esquecimento?

 
Em 1885, o psicólogo alemão Herman Ebbinghaus começou a estudar a capacidade humana de armazenar conhecimentos recém-adquiridos no cérebro, com a ideia de mensurar os efeitos do tempo sobre a memória das pessoas. Para isso, ele começou a realizar testes nele mesmo, que consistiam  na memorização de uma série de listas de sílabas aleatórias a fim de entender por quanto tempo se fixavam em sua mente. 
 
Após vários experimentos, ele concluiu que após um dia de memorização, o conhecimento retido se limitou a 50% do total. No segundo dia, 30% e esse número ia diminuindo a cada dia, demonstrando que o cérebro tende a levar o que aprendemos ao esquecimento.
 
Isso porque  o cérebro entende que não é preciso registrar informações que não são usadas. Ou seja, quanto menos aquele conteúdo for visto, menos relevante ele se torna para o cérebro. Logo, é essencial estimular a memória ao longo do tempo para não descartar a informação estudada. E você pode fazer isso através de revisões de conteúdo. Confira abaixo.
 

Revisões podem ser suas grandes aliadas

 
Revisar o conteúdo com determinados intervalos de tempo potencializa a absorção de conhecimento. O ideal é trabalhar com quatro estágios de revisão:
 

Imediatamente

 
Logo após o término da aula, reserve um tempo para a revisão do que acabou de aprender, fazendo um compilado dos principais pontos do conteúdo. Nós recomendamos que utilize 10 minutos para revisão a cada uma hora de aula.
24 horas depois
 
No dia seguinte, antes de começar uma nova aula, revise o que aprendeu no dia anterior. Releia suas anotações, seu resumo ou fichas-resumo, por exemplo. Segundo o raciocínio da Curva de Esquecimento, tanto os minutos seguintes, quanto as primeiras 24 horas são fundamentais para inserir a informação de forma consistente no cérebro.
 

Sete dias depois

 
Caso o conteúdo não seja revisado, pode estar reduzido a apenas 10% depois de uma semana. Já pensou em ter todo esse esforço caindo por água abaixo? Após 7 dias, faça uma nova revisão, de no máximo 10 minutos. Segundo a teoria, isso é o suficiente para reter cerca de 90% do que foi transmitido.
 

Trinta dias depois

 
O conteúdo se manterá vivo e bem lembrado com uma outra revisão após 30 dias. Lembrando que essas regras valem para aulas presenciais e também para treinamentos virtuais, que se consolidaram durante a pandemia.
 
Saiba mais sobre essa modalidade que vem sendo tão utilizada pelas empresas e saiba como seus(suas) colaboradores(as) podem se beneficiar deste método. Agende uma demonstração gratuita da UserRh!